sábado, 11 de fevereiro de 2017

Valendo nada

Arte cantada
Está tudo bem
Interpretada
Eles vêm
Pintou uma tela
Compram também

Mas se verso

Escrevo romance
Vale tentar
É essa a chance
De revelar
Em muitas páginas
Por mais mensagens
Escancarar

E se verso

Não tem evento
Tem programa?
Ao ar livre
Será meu drama?
Declamarei
Na minha cama.

Ou se verso

Vendo por quanto?
Não é cordel
Só prosa e pranto
Um escarcéu
Escola errada
Nenhum bordel

Como verso

Valendo nada
Nem um centavo
Resta a enxada!
Eu protesto!
Não sou escravo
Eu manifesto

Habito verso

Pague a entrada!
Acha perverso
Pela estrada
Esmola peço
Face espelhada
Grito liberto
Valendo nada
Frente e verso.

Francisco Braz Neto (11/02/2017)








Eu sou o fotógrafo!

Eu sou o fotógrafo!
Essa foto me enche de orgulho. Eu acho que ficou perfeita.