sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Mensageiro do futuro e o muro.

Um dia como outro qualquer.
Reflexões...
Quente, uns 35 graus ou mais.
Celsius
Novembro
Passo
Já é passado.
Passo a passo pela calçada.
Dia 29, uma terça, feira.
Uma inteira, luta.

Um dia como outro qualquer.
Uma razão diferente para nó.
Dessa vez, nós.
Eu levei meu tempo para compreender.
O mensageiro não me disse se compreendeu.

Compreendendo ou não, seguia
Sem guia
Só muro.
Mensageiro do futuro.
Passo após passo
Cambaleando
Encontrando o muro.
Naquela hora do dia
Não era seguro
Quente demais para o presente
Apoiava-se, quase caindo, no muro.

Mensageiro?
Mensageiro!
Precisa de ajuda?
"Quero um táxi."
Está bem.
Um instante.
Descanse.

Táxi!
Obrigado por parar.
Leve o mensageiro para onde ele desejar.
Ele veio de longe
Quer ajuda pra voltar.

Mensageiro, tens dinheiro?
Tudo certo.
Passo a passo chego lá.
Ainda sem precisar do mesmo muro.
Precisando de forças
Aqui e ali vou fraquejar
Refleti mais uma vez
Vi o futuro me falar
O Mensageiro do futuro e o muro
Um dia hei de precisar
Que o futuro seja gentil com todos!
Velho, assim posso lhe chamar?
Lento, frágil e desgastado
Como ali fostes parar?
Vens de longe e sozinho.
Sem ninguém te acompanhar?
Lamentemos durante o caminho
O descaso que ao idoso se dá.

Um dia como outro qualquer
Com a surpresa de um dia único
O futuro manda visita
O muro sólido apoio
A mensagem está sendo escrita
Cada passo é uma conquista
Dois não são um comboio.


Francisco Braz Neto(16/12/2016)










Eu sou o fotógrafo!

Eu sou o fotógrafo!
Essa foto me enche de orgulho. Eu acho que ficou perfeita.