terça-feira, 30 de agosto de 2016

Jogo da Vida

Em um tabuleiro você põe um carrinho.
No carrinho um boneco azul ou rosa.
E gira uma roleta.
De 1 até o 9, qual número que deu?
Quanta semelhança!
Não se escolhe a velocidade da Vida!

Com quantos você joga esse jogo?
Quantos jogam a favor?
Contra quantos jogo?
Quantos jogam limpo?
Quantos fingem ser a favor e são a favor da conveniência?
Quanta semelhança!
Não se escolhe nem se sabe tudo sobre os jogadores do jogo da Vida!

Bifurcação!
Qual caminho tomar?
Você sabe que tanto um quanto o outro trás prós e contras.
Você sabe até que bifurcações são rotineiras e já experimentou os dois lados de algumas delas.
Saber disso tudo ainda te impede de ter só o lado bom de cada que dirá só o lado bom das duas.
Quanta semelhança!
Para ganhar algo se perde em Vida.
Não por querer ganhar e sim por querer viver.
O seguir, o continuar, o participar do jogo, seja qual for o caminho escolhido, ganha-se e perde-se.

Na próxima jogada você casa.
Duas jogadas depois vem filhos.
Gêmeos. Trigêmeos. Filhos adotados. Adotivos. Não. Não quero filhos.
Quero bichos! Três elefantes, quatro camelos e cinco tubarões.
Gira a roleta!
Quero vender um rim. Para uma maior emoção, quero um leilão em Londres para ver até quanto dão por um rim.
Depois tento comprar outro e coloco de volta.
Talvez entre em uma fila de transplante.
Quanta semelhança!
Aquelas crianças órfãs das tantas guerras e das confusões nos acampamentos de refugiados vieram ao mundo para jogar?
Vieram para serem jogadas?
Casa após casa você e eu vamos avançando no jogo.
Quem liga?
O jogo está em que fase?

O jogo pode ser interrompido individualmente.
O jogo muitas vezes é interrompido em grupo.
Algumas vezes há avisos de que vai acabar.
Muitas outras vezes há um fim para quem jogou muito e por muito tempo.
E numa quantidade de vezes maior do que o suportável há jogos sendo interrompidos violentamente, bruscamente, precocemente, injustamente e dolorosamente.
Quanta semelhança!
Te colocam para jogar sem que te perguntem e depois de tanta coisa que não foi escolha sua ainda sentem-se no direito de nos tirar da partida.

Jogo da Vida.
Arrume tudo quando terminar! Coloque tudo de volta na caixa e depois no armário. Devemos manter a aparência de que tudo está em ordem.
A Vida dentro da caixa
A caixa fechada dentro do armário
Atrás de outras caixas.



Esquecida.

Francisco Braz Neto(30/08/2016)







 





Eu sou o fotógrafo!

Eu sou o fotógrafo!
Essa foto me enche de orgulho. Eu acho que ficou perfeita.